Seguro de Vida!

Todo mundo precisa de um e ponto final. Ah, mas eu não tenho filhos. Ok, mas você pode sofrer um acidente (o trânsito no Brasil é extremamente hostil) e ficar fora de combate por causa de uma invalidez (a cobertura para acidentes é muito, mais muito barata mesmo).


Dependendo do seu perfil você precisará de um seguro mais robusto (principalmente se tiver filhos e for a principal fonte de renda da família) ou não, como no exemplo acima.

O importante é avaliar qual é a sua necessidade, qual é o grau de risco envolvido e isso pode ter relação direta com a sua profissão e até estilo de vida. Em uma situação ideal seria ótimo que todo mundo fizesse o seguro mais completo possível, mas existem outros componentes que entram na conta. Como o seguro de vida é ou pelo menos pode ser “vitalício” (enquanto você pagar terá cobertura) precisa caber no seu bolso de forma que seja visto como uma proteção familiar e não um rombo no orçamento.

Outro aspecto que não é muito divulgado (as seguradoras não tem nenhum interesse nisso por razões óbvias) é que o seguro de vida pode ser usado como herança, porque não? Uma pessoa que pagou por muitos anos (e graças a Deus) não precisou usar o seguro pode optar por continuar pagando de forma que o capital segurado se transforme em um benefício para seus herdeiros.

Existe um tipo de seguro de vida para cada pessoa. Converse com a gente e descubra qual é o melhor plano para você.

Escrito por Mauro Brustolin Iplinski, sócio da Famacor Seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *