Seguros: Guia de Sobrevivência para Pequenas e Médias Empresas

 Todo empreendedor tem um monte de coisas para cuidar e pensar em seguros nem sempre é a prioridade. Por isso desenvolvemos um manual bem simples e direto para te ajudar com isso. Vamos lá!

Quais seguros devo contratar?

Bom para responder esta pergunta precisamos analisar três cenários:


1º) Ideal: aqui você não precisaria se preocupar com nenhum tipo de seguro uma vez que nada de errado aconteceria. Viveríamos em um paraíso livre vendavais, ladrões e falhas humanas.

2º) Real: aqui você precisa se precaver de eventos da natureza e da ação do homem.

3º) Catastrófico: nesta realidade estaríamos imerso em uma situação totalmente fora de controle como uma guerra por exemplo.

Bom, para nossa felicidade estamos inseridos na segunda opção (poderia ser bem pior) e felizmente temos no seguro um instrumento para nos manter equilibrados e saudáveis financeiramente em caso de eventos nada agradáveis como um incêndio, erro de um colaborador ou até mesmo um assalto.

Sendo assim, sabemos que estamos sujeitos a bastante coisa ruim que não podemos evitar. De uma maneira bem direta, você deve levar em conta simplesmente todos os tipos de seguros. Tem um cara bem famoso que compartilha deste pensamento:

Gene Simmons (vocalista, baixista, fundador da banda Kiss e empreendedor) em seu livro “Você, S.A.” diz: “Em um ambiente corporativo, seguro não é necessariamente a primeira coisa que você teria em mente. Mas talvez devesse ser. Plano de saúde. Seguro de carro. Seguro de imóvel. Todos os tipos de seguro. Todos valem ser considerados. Pesquise.”  Curiosidade: ele tem seguro para sua famosa língua gigante no valor de US$ 1 milhão.

O Gene entende mesmo das coisas, no mesmo livro ele fala que “quanto mais duro trabalhar, mais sorte vai ter”. Mas isso nós sabemos que não é um problema para você, então vamos voltar a focar em como podemos te ajudar.

Certamente você não terá necessidade de contratar todos os seguros que existem no mundo, mas vale a pena entender um pouquinho como isso funciona e analisar. Para facilitar esta tomada de decisão, elaboramos uma lista por ordem de prioridade:

1º) Seguros obrigatórios:

É bem fácil de entender porque você deve contratar por primeiro os seguros que são obrigatórios. Simplesmente porque a não contratação pode acarretar em sanções ou multas que podem te tirar do jogo. Eis alguns exemplos de seguros obrigatórios (isso irá variar de acordo com a sua atividade):

  • Seguro de Vida dos funcionários: várias convenções coletivas trazem este benefício como um direito adquirido do trabalhador. Se você não contratar este seguro terá que bancar a indenização do bolso além de um processo trabalhista.

  • Seguro Garantia: alguns contratos exigem a contratação deste seguro justamente para reforçar e garantir que o acordado seja cumprido. Se você não fizer este seguro pode perder o contrato significando perdas financeiras severas.

  • Seguro de Risco de Engenharia: Assim como o Seguro Garantia, alguns contratos para execução de obras civis pedem que seja contrato este seguro para indenizar eventuais danos causados no processo da construção. Se você não contratar terá que arcar do bolso qualquer problema além de se queimar no mercado.

  • Seguro de Acidentes Pessoais para estagiários: normalmente o contrato de estágio estipula que o contratante faça um seguro para o estagiário. Se você não fizer a situação é parecida com a do Seguro de Vida, terá que bancar a indenização e sofrerá um processo aumento ainda mais o prejuízo.

  • Seguro de Incêndio para pessoas jurídicas: de acordo com o Decreto-Lei 73/66.

Um detalhe importante: todos estes seguros citados aqui em cima são muito baratos e você só deixaria de contratar por falta de conhecimento mesmo.

Existem outros tipos de seguros obrigatórios como DPVAT, Condomínio, Carta Verde etc. Mas vamos manter o foco nos seguros que o empreendedor irá esbarrar mais cedo ou mais tarde.

2º) Seguro para riscos:

Antes de tudo, precisamos entender o que é um “risco”. Pois bem, “risco” é algo involuntário (não depende da sua vontade), incerto (não se sabe se acontecerá) e imprevisível (não é possível prevenção). Acho que deu para entender que por mais cuidadoso que você possa ser é impossível eliminar o fator risco do seu dia a dia. Assim aqui podemos citar:

  • Seguro Multirisco Empresarial: além da cobertura de incêndio (obrigatória por lei como vimos acima) podemos incluir mais uma série de coberturas: tumultos, derrame e vazamento de água, equipamentos fixos e móveis; danos elétricos;  vendaval; impacto de veículos terrestres, roubo de valores, roubo de bens; responsabilidade civil operações, quebra de vidros e anúncios luminosos.

  • Seguro de Automóvel: cobertura total (colisão, incêndio e roubo) e/ou cobertura para terceiros (aquela que arruma o carro da outra pessoa).

  • Seguro Saúde: cuidar do bem estar da força de trabalho da empresa é fundamental. A contratação por meio de pessoa jurídica é simplificada e possui tarifas mais baixas se comparado com a da pessoa física.

  • Seguro Dental ou Odontológico: ninguém merece trabalhar com dor dente.

3º) Seguro para falhas ou erros humanos

  • Seguro de Responsabilidade Civil Profissional: Se você ou algum funcionário fizer algo de errado que prejudique um cliente, este é “o cara” que irá salvar a sua pele. Aqui estamos falando de danos materiais, corporais, morais além das custas com a defesa. Esta modalidade já é bastante comum entre médicos, dentistas, corretores, cartorários, contadores, advogados etc.

4º) Investimentos (não estamos mais tratando de seguros, mas de produtos oferecidos pelas seguradoras que podem te ajudar):

  • Previdência Privada: acredito que você deseja se aposentar um dia né?

  • Consórcios: muita gente gosta de enxergar como uma poupança programada. Além da possibilidade de ser contemplado no sorteio.

  • Capitalização: bem legal para substituir o antigo fiador e bem mais interessante financeiramente do que o Seguro Fiança. Na verdade o custo é R$ 0,00 (isso mesmo “zero reais”), porém seu dinheiro ficará imobilizado  e aplicado pelo período do contrato de locação. No término ele é reaplicado ou resgatado, você escolhe.

  • Terceirização de frota: alugar uma frota pode ser mais barato e bem mais simples de administrar do que comprar uma cegonha carregada. Existe um produto que inclui seguro, IPVA, manutenção e carro reserva ilimitado.

Ficou com alguma dúvida? Então basta me enviar um  email 😉

Escrito por Mauro Brustolin Iplinski, sócio da Famacor Seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *